sábado, 13 de novembro de 2010

Às vezes você cansa.

Às vezes você cansa de acordar. Às vezes você cansa de andar. Às vezes você cansa de sair. Às vezes você cansa de ir de vir. Às vezes você cansa de comer. Às vezes você cansa de ouvir. Às vezes você cansa de falar. Às vezes você cansa de ter paciência. Às vezes você cansa de não ter paciência. Às vezes você cansa das luzes. Às vezes você cansa das ruas. Às vezes você cansa dos lugares. Às vezes você cansa dos carros, dos ônibus, dos trens, e bicicletas. Às vezes você cansa das pessoas. Às vezes você cansa das vozes. Às vezes você cansa das músicas. Às vezes você cansa do barulho. Às vezes você cansa das cores. Às vezes você cansa de ler. Às vezes você cansa de escrever. Às vezes você cansa dos animais. Às vezes você cansa do tempo. Às vezes você cansa da falta de tempo. Às vezes você cansa de ter que fazer o certo. Às vezes você cansa de fazer o errado. Às vezes você cansa de esperar. Às vezes você cansa de não poder esperar. Às vezes você cansa da chuva. Às vezes você cansa do sol. Às vezes você cansa do vento. Às vezes você cansa de dormir. Às vezes você cansa de querer e não poder. Às vezes você cansa de poder e não querer. Às vezes você cansa de respirar. Às vezes você cansa de estar cansado. Às vezes você cansa de estar triste. Às vezes você cansa de estar alegre. Às vezes você cansa das coisas simples. Às vezes você cansa do mundo. Às vezes você cansa de fazer parte desse mundo. Às vezes você cansa de tudo. Às vezes você cansa de viver. 




Ou não.

1 comentários:

Isa disse...

Todo mundo sempre cansa. A principal característica do ser humano a insatisfação. Por isso as pessoas precisam oscilar, mas até oscilar cansa uma hora.